Um homem que gosta do que faz

p10008301

Por Felipe Prestes

Quem aprecia discos de vinil em Porto Alegre certamente conhece o sujeito franzino, de cabelos grisalhos da foto acima – o sorriso fácil não saiu na foto. Alguns talvez não saibam que esta figura boa de papo se chama Natanael Peres, nascido em Santa Maria há 53 anos.

O talento para vender vem quase de berço. “Já vendi casas, carros, medicamentos, o que tiver que vender eu vendo”, garante. A aptidão foi descoberta aos sete anos de idade, quando a mãe lhe entregou uma cesta de rapadura e pediu que vendesse no centro de Santa Maria. “No final do dia, voltei com a cesta vazia”.

Morando há 28 anos em Porto Alegre, começou a vender discos oito anos atrás. Como já era apreciador de vinis “desde piá”, conhecia muitos comerciantes e, conversa vai conversa vem, descobriu que era possível viver com a venda deste produto.

Hoje possui mais de 20 mil discos. Para adquiri-los conversa com muita gente, faz todo mundo saber que compra o produto. “Os carroceiros todos, por exemplo, já sabem que eu compro”, explica. Para vender, o bom papo torna as coisas mais fáceis. Uma das coisas bacanas desta profissão é que se criam relações duradouras com os clientes. “Encho uma mala de discos e vou na casa deles. Tenho a lista de discos que o Seu Cleomar, pai da Fernanda Lima, comprou. Foram uns cinco mil”.

Já há uns bons anos, Natanael chegava ao Centro no fim da tarde, e se estabelecia na Rua da Praia, junto com outros ambulantes, onde estendia centenas de discos. Agora ele está estabelecido na Protásio Alves, embaixo do viaduto da Mariante. E está gostando. “Todo dia vendo um disco. Tem dois guris que toda sexta-feira vêm aqui e gastam uns cem pila cada um”, comemora.

Mas Natanael tem alma nômade. Outro dia mesmo conversava com ele no Centro, e um sujeito da Prefeitura reclamava, em tom de brincadeira. “A gente arruma ponto pra ti e tu não fica”. Agora, quer voltar a ter loja de discos, como teve alguns anos atrás, na rua Fernando Machado. “O ponto não era tão bom, mas tava vendendo, eu rateei. Todo mundo ta me dizendo que aqui nesta região (bairro Rio Branco) não tem loja, só no Centro. Tenho tudo regularizado, vou procurar um ponto por aqui”.

Independentemente de onde estiver, não será difícil encontrá-lo. Portanto, vamos ao que interessa.

Zé Pipa - O Melhor da Sanfona - Preço: 12 reais, a depender de sua lábia

Zé Pipa - O Melhor da Sanfona - Preço: 12 reais, a depender de sua lábia

Trilha sonora do filme "Grease" (álbum duplo) - Preço: 25 reais, a depender da lábia do vivente.

Trilha sonora do filme "Grease" (álbum duplo) - Preço: 25 reais, a depender da lábia do vivente.

Astor Piazolla - Música Popular Contemporanea de La Ciudad de Buenos Aires - Preço: 18 reais, se não trovares bem.

Astor Piazolla - Música Popular Contemporanea de La Ciudad de Buenos Aires - Preço: 18 reais, se não trovares bem.

Anúncios

3 Respostas para “Um homem que gosta do que faz

  1. Eu não sei o que falta para pechincha ser oficializada como meio de negociação.

  2. husduhsuhuhssad, uma das coisas que gosto do Rio é que lá dá pra pechinchar em quase tudo que é lugar.

    Na compra de vinis, a pechincha já está devidamente institucionalizada. Ainda mais se o cara quiser levar mais de um. Tipo, um de 20 e outro de 15, o cara faz por 30 pila certo, se bobear até por 28, usdhauhhu

  3. Divido com os demais participantes uma matéria que li.

    Porto Alegre ganha barbearia temática
    Empreendimento está localizado entre os bairros Menino Deus e Azenha é novidade na capital gaúcha e diferencia-se com o foco no entretenimento, onde os clássicos do mundo da música são apresentados para clientes enquanto cuidam do seu visual.

    Inaugurada no dia 20 de setembro de 2009 com a chancela de mais de 20 anos de mercado, o empreendimento batizado desde 1989 como Classicus Barbearia reformula a sua marca e propõe aos porto-alegrenses e moradores dos bairros Menino Deus e Azenha um novo conceito no seguimento de beleza masculina, onde os clientes cuidam do seu visual e interagem com quadros, sons e imagens de artistas consagrados como Frank Sinatra, Elvis Presley, John Lennon e David Gilmour.

    “A proposta é resgatar as tradicionais barbearias e oferecer aos homens um ambiente exclusivamente masculino reservado para eles encontrarem amigos, falar de negócios, mulheres e futebol, tudo isso em um local que misture música com saúde e bem-estar”, diz Paulo Cardoso, proprietário da barbearia.

    “O que me motivou a desenvolver esse projeto e oferecê-lo a Porto Alegre, foi quando percebi que é muito complicado encontrar lugares onde nós homens pudéssemos falar de assuntos do nosso interesse e ao mesmo tempo cortar o cabelo sem estar em uma estética, lugar que na minha opinião, é exclusivamente feminino”, complementa Cardoso.

    O empresário ainda destaca que a Classicus Barbearia foi criada para oferecer serviços destinados ao público masculino como: Corte de Cabelo, Barba, Bigode, Massagens, Drenagens, Depilações, Manicure e Pedicure.

    Além de contribuir para o crescimento do segmento, levando em consideração que o setor deve fechar o ano de 2009 com uma receita da ordem de R$ 24 bilhões, um crescimento de 11% sobre 2008, segundo dados da Beauty Fair, o empreendimento entrega aos gaúchos de todas as idades um lugar diferenciado para cuidar do seu visual e fazer grandes amigos.

    Informações Extras:

    Endereço do empreendimento: Av. Azenha 1682, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
    Site: http://www.classicusbarbearia.com.br
    E-mail: cliente@classicusbarbearia.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s